Falando Sobre Filme: O Jardim dos Esquecidos (2014)

Ei pessoal, tranquilo? Entao, hoje vou falar de um filme bastante interessante e baseado em um livro bastante polêmico: O Jardim dos Esquecidos. A primeira vez que pude assistir ao filme foi quando teve estreia na HBO em território tupiniquim. Na verdade o filme se trata de uma produção para televisão, especificamente para o canal de televisão Lifetime. Agora vamos lá saber mais sobre o filme!

O Jardim dos Esquecidos / Foto: Divulgação

O filme ''O Jardim dos Esquecidos'' (Flowers in the Attic, no original) é uma readaptação cinematográfica de um livro homônimo muito antigo de Virgínia C. Andrews. Trata de assuntos bastante polêmicos, como por exemplo, o incesto. Como curti bastante, vim aqui hoje para recomendá-lo pra vocês!

O filme conta a história dos irmãos Chris, Cathy, Carrie e Cory, esses dois últimos sendo gêmeos, que viram órfãos de pai logo no início do filme. Viúva, desempregada e sem nenhum talento especial além de ser bonita, sua mãe acaba tendo de tomar medidas drásticas para viver sem a ajuda financeira do seu falecido marido, que lhe dava tudo o que esta pedia. Ela acaba pedindo ajuda de sua mãe: uma mulher extremamente religiosa que a odeia com todas as forças por uma atitude considerada por ela errada tomada por sua filha muito tempo atrás, atitude essa que nos é esclarecida no decorrer do filme.

O problema é que a avó das crianças não odeia só a própria filha, mas odeia as crianças também, ela as odeia tanto, que as prende em um quarto no andar mais alto da casa, levando comida todos os dias e deixando-as sair do quarto somente para o sótão, local que usam para brincar, fazendo com que elas sintam-se presas, gerando nelas um amadurecimento demasiadamente rápido e a criação de laços afetivos peculiares. As crianças acreditavam que ficariam naquela situação por apenas uma noite, já que sua mãe havia dito que eles ficariam ricos depois que ela herdasse a fortuna de seu pai e se mudariam dali para um lugar bem melhor, coisa que não acontece, já que a mãe as esquece aos poucos e passa a se interessar somente nas suas ambições pessoais.

Chris e Cathy com seus irmãos pequenos / Foto: Divulgação

O fato de ficarem presas em um lugar pequeno como um quarto e um porão faz com que as crianças criem uma própria forma de pensar. Baseando-se nesse principal conflito de "cativeiro", o filme aborda vários temas difíceis, como a passagem da fase adolescente para a adulta, que é difícil para os dois mais velhos: a garota não entende o que está acontecendo com o seu corpo e o garoto começa a sentir atração por mulheres. Eles acabam desenvolvendo uma relação de romance e cumplicidade, passando a agir como pais para os irmãos mais novos. Mesmo que o assunto seja pesado, o incesto é tratado de foma delicada nesse filme, mostrando como a relação entre os dois mais velhos se desenrola naturalmente de acordo com as necessidades e desejos que eles têm.

A maldosa Avô e Corine (a mãe das crianças) / Foto: Divulgação

O filme conta com boas atuações, a maioria dos atores eu não conhecia, sabendo apenas a existência da mãe deles, a atriz Heather Graham, que fez um trabalho bom dentro do papel que lhe foi proposto, mas, em minha opinião, as melhores atuações foram da atriz que interpretou a avó das crianças, Ellen Burstyn, e do ator que incorporou o Chris na trama, o Mason Dye. Ela soube muito bem passar o ódio que sua personagem sente pela filha e ele soube como demostrar as mudanças corporais e mentais que ocorriam em seu personagem no longa, além de ter conseguido também mostrar a confusão que ele sentia em relação a sua irmã: sentir-se atraído por ela era certo ou errado? Essa dúvida o acompanha durante todo o  filme. Além deles, os outros atores também fizeram um bom trabalho, principalmente as crianças, que conseguiram passar de forma excelente o quanto ficavam desesperadas dentro daquele espaço ao qual foram condicionadas a estar.

O filme também conta com a boa atuação da atriz Kiernan Shipka interpretando Cathy.

Corine e os seus filhos / Foto: Divulgação

O filme é do tipo horror alternativo: ele não te deixa com medo, mas te deixa agoniado, revoltado do começo ao fim, com vontade de estar no lugar das crianças e dar uma boa lição na mãe deles e na vó também! Durante toda a trama você vai torcer para eles conseguirem fugir dali e terá momentos em que você vai ficar na ponta do sofá de tão ansioso que as situações que eles se metem vai te deixar, o filme é incrível, se você gosta de um filme que te faz pensar, que te arrepia e surpreende, esse filme é pra você!
Sendo peculiarmente original, O Jardim dos Esquecidos mostra o quanto a natureza humana é frágil e pode ser alterada de acordo com os termos a qual é imposta, também mostra o quanto uma pessoa pode mudar para sempre por fatos ocorridos em um passado muito distante e o quanto o ser-humano pode ser ganancioso, usando formas revoltantes para conseguir  que quer, o filme é revoltante, inovador e, principalmente, instigante, você ficará curioso durante toda a trama para saber o que vai acontecer com as crianças e, quando o filme acabar, ainda vai desejar mais!

Foi pela alta audiência conquistada em sua exibição que decidiram então continuar com a história e veio mais adaptações: Pétalas ao Vento (2014), Os Espinhos do Mal (2014), Sementes do Passado (2015), faltando apenas um para encerrar essa saga, o Jardim das Sombras.

Trailer do filme (em inglês):


Bom pessoal, quem se interessar e quiser baixar o filme, AQUI neste link você poderá assistir! 

Vou ficando por aqui, até a próxima! ;)

6 comentários:

  1. Olá, tudo bem?
    Achei o enredo bem interessante, mas não si se assistiria.
    Lendo sua resenha fiquei meio aflita rs
    Beijos
    http://amandastale.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Não vi.
    Vou procurar em DVD para ver.
    Aquele abraço

    ResponderExcluir
  3. Great post dear

    Have a nice day! :)

    ResponderExcluir
  4. Ooi ainda não conhecia o filme, mas vou procurar pra assistir! Espero que goste o filme quando ver rs
    beijinhos bom final de semana
    http://bellapagina.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Eu vi o filme. Levemente perturbador. Para mim, a mãe consegue ser muito pior que a avó. Não sabia que tinham feito mais filmes a seguir. Espero conseguir vê-los em breve

    ResponderExcluir
  6. Eu já assisti a esse filme, achei tão perturbador... Não sabia que existiam outros filmes!
    Bom fim de semana!
    http://asreceitasdamaegalinha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.