Na Minha Playlist #62: The Verve - Bitter Sweet Symphony

Ei todo mundo! O #NaMinhaPlaylist agora irá apresentar uma seleção de músicas para encerrar o ano de 2016, começando por The Verve com 'Bitter Sweet Symphony'. Canção essa que eu curto muito. Fiquem ligado nos próximos posts!

O Na Minha Playlist de #62 é: ''Bitter Sweet Symphony'' do The Verve


The Verve

The Verve foi uma banda de rock britânica formada em Wigan, Inglaterra no ano de 1989, inspirada musicalmente no estilo que ficou conhecido como britpop (Música Popular Britânica). Após se separarem em abril de 1999, anunciaram sua volta em junho de 2007. Posteriormente, em 2009, a banda acabou.

Seus componentes foram: Richard Ashcroft (vocalista/guitarrista), Nick McCabe (guitarrista), Simon Jones (baixista) e Peter Salisbury (baterista).

Foi em 1997 que The Verve conheceria o seu auge e o seu fim. Urban Hymns foi um álbum com marcantes violinos em diversas músicas e o apogeu da banda. A música “Bitter Sweet Symphony” representou toda a conturbação vivida pela banda.

Capa do álbum Urban Hymns

Urban Hymns é o terceiro álbum de estúdio da banda The Verve, lançado em 29 de Setembro de 1997. A maioria das faixas foram escritas pelos próprios membros da banda, principalmente pelo vocalista Richard Ashcroft.

Mas, vamos lá: quais são as curiosidades de “Bitter Sweet Symphony” presente no álbum? A letra da foi composta inteiramente pelo vocalista Richard Ashcroft, mas não é essa a peculiaridade da canção. Porém, mesmo ele tendo criado a letra da música, os créditos da melodia não são seus e de nenhum outro integrante do Verve, mas sim de uns caras que respondem pela alcunha de Keith Richards e Mick Jagger. Se você leu rápido e não reconheceu os nomes, volte e leia com mais atenção.

Sim, se você não morou em Marte nesses últimos cinquenta anos, sabe que esses são os principais componentes dos Rolling Stones. Na verdade, aquela melodia que não sai da cabeça foi uma adaptação feita pelo empresário e produtor Andrew Oldham para a música “The Last Time”, do álbum de 1965 dos Rolling Stones, Out of Our Heads.

O The Verve pediu para utilizar essa passagem, mas depois que a música foi lançada e de todo sucesso perceberam que eles tinham usado um pouco a mais do que haviam sido autorizados. Assim, iniciou-se aquele trâmite que todos conhecem: a gravadora de um abriu um processo contra a gravadora de outro, e o resultado foi que os créditos da música foram repassados para a dupla dos Stones.

Claro que esse fato não anula os méritos do Verve em, adaptando uma melodia, criar uma canção tão forte e de tanto sucesso. Mas isso é mais um exemplo de que não podemos nunca deixar de admirar os pioneiros do rock lá das décadas de sessenta e setenta.

Porém, isso não é tudo. Essa versão do Andrew Oldham para a música dos Rolling Stones tem denúncias de plágio. Na verdade, ele teria utilizado a mesma sequência de notas de um clássico da música erudita chamado “In the Hall of the Mountain King”, de Edward Grieg. Que coisa.

Já o The Verve desgastados por brigas internas e pelo próprio sucesso, a banda e os fãs viram aos poucos o seu fim chegando, e em abril de 1999 o seu fim oficial. A partir de então Richard Ashcroft seguiu com carreira-solo e Simon Tong foi integrado ao Blur.

Single/Divulgação

Bitter Sweet Symphony foi lançada originalmente em 16 de junho de 1997. 

Logo aquela melodia "estourou" nas rádios brasileiras no ano de 1998, na época da Copa do Mundo realizada na França. Também fez parte da trilha sonora do filme teen-cult Segundas Intenções, de 1999, o que fez aumentar sua fama.

Sobre a letra de Bittersweet Symphony pode ser traduzida como Sinfonia amarga e doce e a sua letra fala do sofrimento que uma pessoa está sentindo por não encontrar um sentido para a vida. 

Pelo que eu entendi, o autor diz que acha a vida uma sinfonia amarga e doce ao mesmo tempo. Bittersweet, até onde eu sei, é usado para falar de chocolate meio-amargo que mantém o sabor docinho e característico do chocolate, mas é mais denso e também tem notas de sabor amargo quando colocado na boca. Eu sei do chocolate, mas quem gosta de café adoçado deve sentir a mesma coisa. Docinho mas amargo e um tanto azedinho no final.

E sabe que eu concordo, pelo menos com esse verso da música? Tem momentos na vida que são bem amargos, que a gente perde as esperanças e fica desacreditado, sentindo um vazio enorme no peito. Quem nunca passou por isso? Have you been down? (Você já esteve mal?) E nessas horas não adianta fazer muita coisa, às vezes só o tempo mesmo para amenizar a dor. Eu tento (só tento porque conseguir são outros quinhentos) ver sempre o lado bom das coisas e acho que a letra de Bittersweet Symphony não é tão trágica assim se pensarmos que a vida tem seus momentos amargos sim, mas também tem muitos momentos doces.

Então, aumenta o som!


Porque é uma sinfonia agridoce, esta vida.

Gostou de Bitter Sweet Symphony? Então baixe a canção em formato MP3.
Na Minha Playlist #62: The Verve - Bitter Sweet Symphony Na Minha Playlist #62: The Verve - Bitter Sweet Symphony Reviewed by Walter Segundo on 16:07 Rating: 5

Nenhum comentário

Latest in Sports

Na minha playlist, interativo, top 10