7 de Setembro: A Independência do Brasil

No dia 07 de setembro, comemoramos (ou não) a Independência do Brasil, eternizada no brado retumbante de D. Pedro, em São Paulo, às margens do Rio Ipiranga. Mas será que as coisas aconteceram realmente assim? Dá pra confiar em todos os fatos contados nos livros didáticos? O que a história oficial não mostra? Vamos conhecer alguns fatos e curiosidades sobre a Independência do Brasil.

Independência ou Morte!, também conhecido como O Grito do Ipiranga

* O quadro “Independência ou Morte”, de Pedro Américo, entrou para a história como o retrato do momento da Proclamação da Independência. Mas foi pintado apenas em 1888, em Florença, na Itália, sob encomenda da Corte. O pintor, que nem era nascido em 1822, cometeu alguns exageros.

* O quadro mede 7,60 metros por 4,15 metros. Mas o maior quadro de Pedro Américo, também o maior do Brasil, é “Batalha do Avaí”, de 1874. A tela tem 66 m2 e está em exibição no Museu Nacional de Belas-Artes do Rio de Janeiro. Levou 26 meses para ser finalizado.


Como aconteceu a Independência do Brasil
A declaração de Independência foi dada pelo então príncipe regente D. Pedro I, que depois de dar o famoso Grito do Ipiranga, às margens do riacho Ipiranga, transformou o Brasil de colônia a país, e se tornou o primeiro Imperador do Brasil.

* O Brasil pagou 2 milhões de libras a Portugal pela Independência. D. Pedro não pediu nenhuma possessão portuguesa – caso de Angola, na África, cuja elite quis fazer parte do Império do Brasil para facilitar o tráfico de escravos.

Por que aconteceu a Independência do Brasil?
Enquanto o Brasil era colônia portuguesa, era proibido de realizar comércio com qualquer outro país que não fosse Portugal. Essa situação mudou, quando em 1808 a Família Real portuguesa se viu obrigada a mudar-se para o Brasil. O comércio com o exterior foi aprovado, e o Brasil tinha como principal importador a Inglaterra.

Quando a Família Real voltou para Portugal, eles deixaram D. Pedro no comando, que era o filho de D. João, rei de Portugal. Ao chegar em Portugal a corte quis novamente proibir o Brasil de realizar comércio com o exterior, vendendo e comprando apenas de Portugal.

Porém, a nobreza do Brasil não gostou dessa lei que veio de Portugal, pois eles estavam faturando muito com o comércio exterior e não gostariam que o lucro fosse cortado. Começaram então a pressionar D. Pedro para que ele não aceitasse as ordens vindas de Portugal.

Também a Inglaterra teve uma participação importante nesse processo, pois como ela lucrava muito vendendo seus produtos aos brasileiros, incentivou bastante D. Pedro a romper os laços com Portugal, para assim o livre comércio permanecer.

Príncipe Pedro rodeado por uma multidão em São Paulo depois de dar a notícia da independência do Brasil, em 7 de setembro de 1822.

* A Casa do Grito, que também aparece no quadro, é uma das atrações do Parque da Independência, em São Paulo. Feita em taipa, ela foi habitada pela família Tavares de Oliveira, a partir de 1911. Em 1936, a família acabou desapropriada pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura.

Dia do Fico
Quando D. João ficou sabendo que todos estavam pressionando seu filho a não acatar suas ordens, ele ordenou que D. Pedro retornasse imediatamente para Portugal. A população brasileira reuniu-se e realizou um abaixo assinado pedindo ao príncipe regente que ficasse. No dia 9 de janeiro de 1822 mostraram as assinaturas a D. Pedro e ele declarou que ficaria no Brasil. Esse dia ficou conhecido na história como Dia do Fico.

* O Dia do Fico ocorreu por causa da tentativa da nobreza portuguesa em mandar D. Pedro para Portugal, com objetivo de recolonizar o Brasil. Pedro recebeu milhares de assinaturas pedindo que ficasse. No dia 9 de janeiro de 1822, ele teria dito: “Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico”.

O grito da independência
Depois que D. Pedro I declarou que ficaria no Brasil, a corte de Portugal enviou outra mensagem solicitando que ele retornasse para a Europa. Na ocasião, D. Pedro estava fazendo uma viagem em São Paulo. No momento em que recebeu a mensagem, ele estava às margens do riacho Ipiranga, e mais uma vez se recuou a acatar as ordens de Portugal. Declarou então a independência do Brasil, no dia 7 de setembro de 1822.

O grito não aconteceu às margens do riacho do Ipiranga, como sugere o quadro e a letra do Hino Nacional. O príncipe bradou o seu célebre grito no alto da colina próxima ao riacho, onde sua tropa esperava que ele se aliviasse de um súbito mal-estar intestinal.


Bom, é isso aí! Espero que tenham compreendido tudo. Existe alguma dúvida que queiram esclarecer? Diz aí nos comentários! Até a próxima! ;)

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.